anuncio 01

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

LEVANTAMENTO MANUAL DE CARGA UTILIZANDO O MÉTODO NIOSH

Nesta postagem vou ensinar como utilizar o método NIOSH para realizar a avaliação da atividade de levantamento manual de carga.

Eu pessoalmente utilizo um programa chamado Ergolândia desenvolvido pela FBF Sistemas, esse software é muito bom, ele possui varias ferramentas ergonômicas inclusive a NIOSH, você pode baixar ele e utilizar durante um tempo gratuitamente, após alguns dias apenas a NIOSH fica liberado para você utilizar por tempo indeterminado, caso você queira liberar as demais ferramentas dai vai ser cobrado um valor.

Segue o link para baixar o programa Ergolândia: http://www.fbfsistemas.com/ergonomia.html

Eu aconselho a utilizar o software, pois o cálculo para obter os resultados é meio complicado, já o software vai calcular tudo, você apenas terá que alimentar o programa com as informações que eu vou ensinar demostrar como faz.

Quando você abre o Programa Ergolândia a página inicial dele é essa abaixo:


Como pode verificar o mesmo possui várias ferramentas ergonômicas, selecione a NIOSH que é a primeira opção e clique em entrar, abrirá a tela abaixo:


Primeira coisa a se fazer é incluir o nome do trabalhador, empresa, setor, função e peça a ser levantada, segue:


Agora vamos entender cada item do programa.

LETRA H

H = Distância horizontal entre o pé e as mãos (medir em centímetro), para realizar essa medição peça para o trabalhador se posicionar e pegar a carga sem tirar ela do lugar, meça a distância entre o pé e a mão (a mão tem que estar no objeto a ser levantado)

No exemplo abaixo o resultado foi de 30 cm a distância entre o pé até as mãos.



LETRA V

V = Distância vertical entre o chão e a mão (medir em centímetro), para realizar essa medição utilize a mesma posição que você usou para tirar a medida da letra H, porém, dessa vez você irá medir a distância do chão até a mão (a mão tem que estar no objeto a ser levantado), 

No exemplo abaixo o resultado foi de 10 cm a distância do chão até as mãos.


LETRA D

D = Distância vertical percorrida pela caixa (medir em centímetro), aqui você irá medir de onde o objeto saiu até a altura que ele foi colocada, atenção neste item, pois a distância percorrida é na vertical e não na horizontal.

No exemplo abaixo carga percorreu 50 cm na vertical.



LETRA A

A = Ângulo de torção do tronco (em graus), aqui você irá observar se é necessário realizar rotação de tronco para realizar a atividade.

No exemplo abaixo teve uma rotação de 90°.



LETRA F

F = Fator frequência, neste item você precisará consultar a tabela de duração de trabalho, a mesma você pode consultar no próprio programa, segue abaixo onde você encontra essa tabela:


Vamos interpretar a tabela:


No meu exemplo vou usar duração de trabalho de 1 hora, com uma frequência de levantamento de 3 caixas por minuto, sendo a altura vertical percorrida pela carga é de 50 cm que o valor da letra D.



No meu exemplo meu Fator de Frequência é 0,88.


LETRAS QP

QP = Qualidade da Pega, é só consultar da tabela clicando na seta azul ao lado QP no programa, irá abrir a tabela abaixo.


No me exemplo vou considerar qualidade Razoável, como já vimos na tabela acima meu V < 75, então meu QP = 0,95.


LETRA P

P = É o peso do objeto a ser levantado em Kg.

Vou considerar um objeto de 25Kg.


REALIZAÇÃO DO CÁLCULO

Agora é bem simples, é só pegar os valores obtidos e colocar no programa:


Valores colocados no programa só clicar em calcular, segue resultado:



Como podemos verificar o resultado do Índice de Levantamento (IL) foi RUIM, ou seja, necessita de melhoria 

Segue abaixo a tabela de interpretação da do Índice de Levantamento



Chegamos ao final de nossa postagem, agora é só ir té os locais onde existe o levantamento manual de carga e aplicar a ferramenta.





segunda-feira, 26 de outubro de 2015

DDS - SIPAT

SEMANA INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

SIPAT (semana interna de prevenção de Acidentes) é uma semana voltada à prevenção, tanto no que diz respeito a acidentes do trabalho quanto a doenças ocupacionais. É uma das atividades obrigatórias para todas as Comissões Internas de Prevenção de Acidentes do Trabalho, devendo ser realizada com frequência anual.

A Legislação da SIPAT está prevista na Portaria nº 3.214, NR-5, item 5.16 “Atribuições da CIPA - letra O: “Promover, anualmente, em conjunto com o Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT), a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho –SIPAT”.

OBJETIVOS
Orientar e conscientizar os funcionários da SUA EMPRESA sobre a importância da prevenção de acidentes e doenças no ambiente do trabalho;

Fazer com que os funcionários resgatem valores esquecidos pelo corre- corre do dia-a-dia, ou seja, não só tenham ideia de segurança, mas que também pratiquem segurança. Na SIPAT, os assuntos relacionados com saúde e segurança do trabalho são evidenciados, buscando a efetiva participação dos funcionários envolvendo, também, os diretores, gerentes e familiares se possível.

Ela não deve ser vista como mero cumprimento da legislação, mas sim como a continuidade dos trabalhos voltados para a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais, onde a lucratividade está na promoção da saúde, aumento da produtividade e na valorização da vida.

DDS - IMAGEM DA EMPRESA

Ledo engano ao se pensar que a imagem de uma organização somente é sentida pelo cliente, na embalagem ou logomarca dos produtos e/ou serviços oferecidos. Pode-se dizer que o início desta concepção surge muito antes, sendo ela, notada por todos.


Lembre-se, a imagem criada de uma empresa é equiparada a de um cidadão comum, geralmente a primeira impressão é a que fica. Uma vez causada má impressão, o caminho para a inversão do pensamento torna-se muito difícil, senão, impossível. A seguir os principais canais por onde a imagem é sentida e definida: 

Para a Comunidade: Responsabilidade sócio-ambiental e posição perante a mídia e ao mercado. 

Para os Investidores: Responsabilidade sócio-ambiental, saúde financeira, aceitação dos produtos e/ou serviços e posição perante a mídia e ao mercado. 

Para os Fornecedores: Área da recepção, colaboradores de compras, gerência, cartões de visita, websites, domínios na internet, cumprimento de prazos, instalações e posição perante a mídia e ao mercado. 

Para os Colaboradores: Plano de carreira, remuneração, benefícios, gerência, ambiente de trabalho, participação dentro dos processos, ferramentas de trabalho, instalações, colaboradores e posição perante a mídia e ao mercado. 

Para os Clientes: Responsabilidade sócio-ambiental, área da recepção, colaboradores de vendas, aceitação e qualidade dos produtos e/ou serviços, premiações, promoções, eficiência do SAC, suporte, websites, domínios na internet, logística e distribuição, agilidade e facilidade na compra, cumprimento de prazos, entregas, instalações e posição perante a mídia e ao mercado. 

Organização:
Pequenos pecados diários agem silenciosamente, fazendo com que a identidade da empresa seja aos poucos diluída, refletindo a imagem de uma empresa desorganizada, ultrapassada e amadora.

Segurança:
Atualmente todas as empresas têm investido pesado em segurança do trabalho para seus colaboradores, além de diversos treinamentos e orientações em como evitar acidentes, como tratar uma pessoa acidentada além de relatos e debates sobre quase acidentes. Empresas que tem muitos acidentes passam uma imagem de empresa insegura, que não cumpre a legislação referente à segurança e saúde do trabalho.

Qualidade:
Com a evolução dos negócios e o aumento da concorrência, que vem obrigando organizações a se preocuparem cada vez mais com a produção de seus produtos e serviços, gerando uma constante busca na melhoria da qualidade. A importância da qualidade pode ser trabalhada de muitas formas, isso dependerá do objetivo estratégico de cada organização. Empresa que não produz com qualidade passa uma imagem de falta de comprometimento com os clientes, corre o risco de perder seus clientes para a concorrente.

Meio ambiente:
Alguns anos atrás, com os primeiros movimentos em prol da preservação do meio ambiente, as empresas começaram a se preocupar em passar uma imagem de ecologicamente corretas, de não agressoras do meio ambiente. As empresas, por conta da grande competitividade do mercado, vendem a imagem de empresas preocupadas com o meio ambiente. Pois isto agrada ao mercado consumidor, torna-se um elemento que a distingue das demais. Empresas que não se preocupam com o meio ambiente passam uma imagem de empresa degradadora, que produz unicamente para gerar lucro.

DDS - TRABALHO EM EQUIPE

O trabalho em equipe é uma estratégia racional de organização criada para aprimorar a efetividade do trabalho e aumentar o contentamento do homem com o seu trabalho.

Para fazer um trabalho em equipe é preciso ter paciência, uma vez que nem sempre é fácil entrar num acordo diante de opiniões diferentes. Desse modo, é essencial expor os posicionamentos de cada um de maneira moderada, procurando ouvir com boa vontade o que os outros querem expressar. É possível que surjam conflitos entre os componentes da equipe, porém é muito importante “ser profissional”, não deixando que isso impeça ou influencie negativamente no trabalho a ser realizado.

Contam que em uma marcenaria, houve uma estranha assembléia.


Foi uma reunião onde as ferramentas juntaram-se para acertar as diferenças.

Um martelo estava exercendo a presidência, mas os participantes exigiram que ele renunciasse. A causa?

Fazia demasiado barulho e além do mais, passava o tempo todo golpeando. O martelo aceitou sua culpa, mas também pediu que fosse expulso o parafuso, alegando que ele dava muitas voltas para conseguir algo.

Diante do ataque o parafuso concordou, mas por sua vez pediu a expulsão da lixa. Disse que ela era muito áspera no tratamento com os demais, entrando sempre em atrito. A lixa acatou, com a condição que se expulse o metro, que sempre media os outros segundo a sua medida, como se fosse o único perfeito.

Nesse momento entrou o marceneiro, juntou todas as ferramentas e iniciou seu trabalho. Utilizou o martelo, a lixa , o metro , o parafuso... E a rústica madeira se converteu em belos móveis. Quando o marceneiro foi embora, as ferramentas voltaram a discussão.

Mas o serrote adiantou-se e disse: Senhores ficou demonstrado que temos defeitos, mas o marceneiro trabalha com as nossas qualidades, ressalta nossos pontos valiosos ...Portanto em vez de pensar em nossas fraquezas , devemos pensar em nossos pontos fortes.

Então a assembléia entendeu que: o martelo era forte, o parafuso unia e dava força, a lixa era especial para limpar e afinar asperezas, e o metro era preciso e exato. Sentiram-se como uma equipe, capaz de produzir com qualidade, e uma grande alegria tomou conta de todos pela oportunidade de trabalharem juntos.

O mesmo acontece com os seres humanos. Quando as pessoas buscam o defeito em outras, a situação torna-se tensa e negativa. Ao contrário quando se busca com sinceridade o ponto forte dos outros, florescem as melhores conquistas humanas.

É fácil encontrar defeitos... qualquer um pode fazê-lo!!!!!!!

Mas encontrar as qualidades???? Isto é para os sábios.

domingo, 25 de outubro de 2015

DDS - LEVANTAMENTO DE PESO

Principais pontos sobre levantamento de peso com segurança:


A proteção das mãos é de máxima importância. Ao levantar materiais com bordas cortantes ou superfície áspera, use luvas para proteger as mãos. Devemos evitar o pinçamento de dedos e cortes nas mãos. Mesmo que você esteja usando luvas, deve certificar-se de que suas mãos não correm riscos. Muitas cargas caem quando as mãos são atingidas por alguma projeção no momento em que a mesma está sendo levantada, atingindo os pés. 



A firmeza dos pés é essencial para se tentar levantar um objeto de qualquer peso substancial. Muitas distensões resultam da perda do equilíbrio. Com isso o peso da carga é lançado sobre os músculos das costas. A posição dos pés determina se você está ou não bem equilibrado. Eles devem estar ligeiramente separados um do outro.



Dobrar os joelhos para levantar o peso com os músculos da perna é o requisito básico de segurança. Se estiver pegando uma caixa, posicione-a em diagonal pegando pelos cantos opostos.
A coluna deve ficar quase que reta. Se encurvar a coluna em demasia poderá ocorrer lesões graves na coluna vertebral. Lembre-se que a coluna é composta de pequenas vértebras intercaladas com um disco gelatinoso. A compressão então deve ser num sentido vertical. 


Após levantado a carga mantenha próximo ao corpo para evitar esforços nos músculos dos braços e manter o equilíbrio da pessoa.
Levantar lentamente é outra recomendação básica de segurança. Coloque lentamente sua força no levantamento. Levante lentamente esticando suas pernas, mantendo as costas retas e a caixa próxima ao corpo. Se a carga for muito pesada, logo no início você saberá retornar a carga para a posição original. 

Peça ajuda quando precisar e não hesite em fazer isto.
Apresentamos a seguir alguns conselhos:
Dimensione a carga primeiro, não tente ser o mais forte. Na dúvida peça auxílio;
Certifique-se de está com os pés firmes no chão e dos desníveis do local se existir;
Mantenha os pés ligeiramente separados, uns 30 centímetros um do outro;
Coloque seus pés próximos à base do objeto. Isto é importante porque evita colocar toda a carga sobre os músculos das costas;
Dobre seus joelhos, mantendo suas costas reta e o mais vertical possível.

Lembre-se:
Levantamento de cargas representam muitos problemas no trabalho em relação a acidentes típicos ou problemas relacionados com a saúde do empregado.
Assim sendo procure utilizar a força dos músculos das pernas e braços, pois costas não possuem músculos para essa finalidade.

DDS - QUEDA DE MATERIAIS

Olhe para cima e para baixo

Objetos que caem e acertam pessoas embaixo representam uma das causas mais sérias de acidentes industriais e são responsáveis por muitas fatalidades todos os anos.

Primeiramente, o trabalho está sendo realizado em locais elevados?


Como os acidentes podem ser evitados? Eis aqui alguns cuidados básicos a serem seguidos:

- Alerte os que estão abaixo de que você vai começar um trabalho acima de suas cabeças, sinalizando, fazendo barricadas e adotando bons meios de comunicação;
- Não carregue ferramentas ou materiais ao subir escadas.
- Use um cabo ou corda, recipientes ou balde para içar o material;
- Antes de içar as ferramentas ou materiais com uma corda, esteja absolutamente ciente de que estejam bem presos e que não possam deslizar;
- Nunca arremesse materiais ou ferramentas;
- Certifique-se de que a carga que está sendo içada por corda ou andaime esteja equilibrada e que não há qualquer pessoa sob a carga que está sendo içada;
- Mantenha as ferramentas e materiais afastados das bordas das plataformas e escadas e de aberturas;
- Não coloque ferramentas nos bolsos, porque, quando se curvar, elas podem cair;
- Pratique a boa arrumação e ordenação em locais elevados e mantenha as ferramentas e materiais que não estão sendo usados reunidos e guardados adequadamente;
- Se a natureza do trabalho em locais elevados envolver o perigo de queda de objetos, proteja a área embaixo e coloque placas de advertência no local. Isole a área com uma corda.


É muito importante que as pessoas embaixo estejam atentas para o trabalho que está sendo feito acima de suas cabeças e que obedeçam às placas de advertência e às barricadas.

Um outro problema do mau empilhamento em armazéns, pátios, caminhões ou no local de trabalho. Os materiais devem ser empilhados somente a uma altura razoável e com a base plana. Nem todos os objetos em queda vêm de grandes alturas.

Provavelmente, os objetos que caem de pequenas alturas sejam os que mais atingem pessoas.

Uma outra situação comum de queda de objetos causando ferimentos ocorre quando dois trabalhadores estão transportando um pedaço de tubulação ou algum outro objeto pesado e a pega é inadequada e um dos trabalhadores deixa cair seu lado da carga. Nesse caso os pés que serão castigados pela falha.


Um outro exemplo: alguém apoia um pedaço de aço ou de tubo contra uma parede e vai embora. Quando outra pessoa se aproxima, o objeto escorrega e cai. Nesta situação o objeto poderá atingir qualquer parte do corpo.

Tudo que sobe tem que descer... mais cedo ou mais tarde.

Devemos nos assegurar de que descerão em segurança



DDS - RESPIRADORES

O QUE OS OLHOS NÃO VÊEM... O PULMÃO ASPIRA
Nas muitas atividades de trabalho, existem inúmeros contaminantes micros­cópicos que ficam suspensos no ar. Muitas vezes, eles são prejudiciais à saúde.

Quais Os Contaminantes Presentes Nas Indústrias?

O ar que respiramos é composto de 21 % de oxigênio, 78% de nitrogênio e 1% de outros gases. Nessa combinação, esses gases mantêm a vida. Porém, quando outras substâncias estiverem presentes, o trabalhador estará sujeito à irritação, intoxicação, asfixia narcose, podendo levá-lo à morte.


Quais São Os Agentes Que Podem Representar Condições de Risco Para O Nosso Aparelho Respiratório?

Poeiras - São formadas quando um material sólido é quebrado, moído ou triturado.

Fumos - Ocorrem em operações de fusão em altas temperaturas, com materiais plásticos ou metálicos, como soldagem e fundição.

Neblinas ou Névoas - São encontradas em operações de pintura quando os líquidos são pulverizados.

Gases e Vapores - São contaminantes presentes no ar, que por serem minúsculas partículas, passam pelos pulmões, depositam-se na corrente sanguínea e podem chegar ao cérebro, rins e outros órgãos. Os vapores ocorrem através da evaporação de líquidos ou sólidos, tais como: gasolina, querosene, solvente de tintas, etc.

Como Se Proteger Desses Contaminantes - Através de EPI, respiradores com filtros adequados que atraem e retêm os contaminantes suspensos no ambiente de trabalho.

Como Identificar Um Bom Respirador:

Conforto - Considerando que o trabalhador poderá utilizar o respirador até 8 horas por dia, é de fundamental importância que seja leve, sem machucar o rosto do usuário;

Selagem - Deve ajustar bem à face do usuário, protegendo contra as partícu­las de gases tóxicos que podem estar presentes no ambiente;

Dificuldade na Manutenção - Respiradores compostos de muitos ele­mentos e peças reposicionáveis necessitam de cuidados freqüentes e prejudicam a qualidade e eficiência do EPI, se a manutenção não for bem feita;

Fácil Utilização - Respirador de manuseio complicado desestimula e dificulta a utilização freqüente;

Fácil Comunicação - Um bom respirador permite durante sua utilização uma clara e fácil comunicação, sem que seja necessário retirá-lo do rosto.

Eficiência - A qualidade do elemento filtrante é muito importante para que ocorra a proteção respiratória, bem como o uso do respirador apropriado para cada situação e contaminantes.

Cuidados:

Ø  Não suje, nem danifique a parte interna do respirador, a qual ficará diretamen­te em contato com a boca e o nariz;
Ø Não deixe o respirador sobre equipamentos e lugares sujeitos as poeiras ou su­jeiras;
Ø No intervalo ou ao final do trabalho, guarde o respirador em saco plástico e coloque-o em lugar apropriado (gaveta, armário, etc.);
Ø Quando sentir dificuldades na respiração, cheiro ou gosto do produto com que estiver trabalhando, isso indica que é hora de trocar o respirador.