segunda-feira, 29 de outubro de 2012

TAXA DE FREQUÊNCIA E DE GRAVIDADE DOS ACIDENTES

NBR 14280

Nesta postagem estarei explicando como fazer os cálculos de frequência e gravidade dos acidentes e ou doenças do trabalho, segundo a NBR 14280.

Antes de fazer qualquer cálculo você precisa montar uma planilha para colocar os dados estátiscos e montra um gráfico para melhorar a visualização.

Exemplo de planilha com gráficos feito no excell para registros dos dados estátiscos dos acidentes:


Após montar a tabela e os gráfico é hora de fazer os cálculos das taxas de frequência e gravidade, fazer o cálculo mensalmente.

CÁLCULO DA TAXA DE FREQUÊNCIA

É o número de acidentados por milhão de horas de exposição ao risco, em determinado período.
Essa taxa é expressa e calculada pela seguinte fórmula:

F = N x 1.000.000
               H

Onde: F = Taxa de Freqüência de acidentados
N= Número de acidentados
H= Horas-Homem de exposição ao risco

Porém vc terá que realizar dois calculos um para Acidentes Sem Perda de Tempo (que iremos chamar de Taxa de Frequência SPT) e um para Acidentes Com Perda de Tempo (que iremos chamar de Taxa de Frequência CPT).

Exemplo Taxa de Frequência CPT:

Se numa fábrica houve em um mês 5 acidentados com perda de tempo e nesse mesmo mês foram trabalhadas 100.000 (cem mil) horas, o cálculo será feito da seguinte maneira:

5 X 1.000.000 = 50
                                                          100.000

A taxa de Frequência CPT será 50 acidentados com perda de tempo a cada 1.000.000 (um milhão) de horas trabalhadas.

Exemplo Taxa de Frequência SPT:

Se numa fábrica houve em um mês 3 acidentes com perda de tempo e nesse mesmo mês foram trabalhadas 100.000 (cem mil) horas, o cálculo será feito da seguinte maneira:

3 X 1.000.000 = 30
                                                          100.000

A taxa de Frequência SPT será 30 acidentados sem perda de tempo a cada 1.000.000 (um milhão) de horas trabalhadas.

CÁLCULO DA TAXA DE GRAVIDADE

É o número que exprime a quantidade de dias computados nos acidentes com afastamentos por milhão de horas-homem de exposição ao risco.

Essa taxa é expressa e calculada pela seguinte fórmula:

G = T x 1.000.000
                 H

Onde: G = Taxa de Gravidade
T= Tempo computado
H= Horas-Homem de exposição ao risco

A taxa de gravidade pode ter duas possibilidades de calculo, uma com apenas os dias perdidos e outra com dias perdidos + dias debitados.

Exemplo Taxa de Gravidade Dias Perdidos:

Se numa indústria houve trinta (30) dias perdidos com acidentes e nesse mesmo mês foram trabalhados 100.000 homens – horas - trabalhadas, a TG será calculada da seguinte forma:

30 X 1.000.000 = 300
                                                        100.000

Seriam 300 dias perdidos em 1.000.000 (um milhão) de horas trabalhadas.

Exemplo Taxa de Gravidade Dias Perdidos + Dias Debitados:

O que significa dias debitados?

Dias Debitados os dias que devem ser somados as Dias Perdidos.

De onde tirar os Dias Debitados?

Na NBR 14280 tem um Quadro que demostra os dias debitados. O quadro segue abaixo:



Como usar esse quadro?

É bem simples, segue o cálculo:

Se numa indústria houve trinta (30) dias perdidos com acidentes e um acidente com Morte e nesse mesmo mês foram trabalhados 100.000 homens – horas - trabalhadas, a TG será calculada da seguinte forma:

Nos deparamos com uma Morte, se vc for no Quadro acima vamos verificar que em nossa fórmula da gravidade teremos que considerar também os dias debitados, ou seja, de acordo com o Quadro teremos que somar mais 6.000 dias.

Então o cálculo será:

(30 + 6000) X 1.000.000 = 60.300
                                                         100.000

Seriam 60.300 dias perdidos em 1.000.000 (um milhão) de horas trabalhadas.

Lembresse: se um empregado fica afastado durante varios meses, esses dias perdidos tem que ser colocado no calculo, não é para considerar apenas os afastados naquele mês, isso chamamos de dias transportados. Exemplo: Um empregado se afastou no dia 20 de janeiro de 2012 e voltou para o trabalho no dia 10 de março de 2012, ou seja, tivemos 11 dias perdidos em janeiro, 29 dias perdidos em fevereiro e 9 dias perdidos em março.

Então todos os meses temos que calcular essas duas Taxas a de Frequência e a de Gravidade, vc pode montar essa formula na planilha de excell e montar um gráfico. No final do ano vc soma os resultados mensais e vc terá seu valor final do ano todo.

18 comentários:

  1. De excelente qualidade a minha pesquisa com suas postagens!!
    Parabéns!!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom. Foi de grande ajuda. Obrigada.

    ResponderExcluir
  3. Tenho uma duvida:

    Se um funcionário se acidentou em fev/2011 e só retornará em mar/2015, como serão calculados os dias perdidos nos anos de 2012,2013 e 2014.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os calculos devem ser feito mensalmente.

      Vamos explicar o seu exemplo: vamos dizer que no dia 10 fevereiro de 2011 o empregado sofreu o acidente, quando acabar o mês vc conta a quantidade de dias perdidos e faz o calculo referente ao mês de fevereiro, nesse caso seria 18 dias perdidos, em março de 2011 ele continuou afastado, vc deverá fazer o calculo do mês de março considerando 31 dias perdidos, pois o empregado continua afastado, e assim por diante, até o empregado retornar. Com isso o calculo da gravidade fica alto mesmo, pois o acidente ocorrido foi grave com afastamento de 5 anos. O controle mensal é importante para verificar como esta a evolução dos acidentes dentro da empresa e comparar com os mesmos anos dos anos anteriores.

      Da para fazer varias comparações com os esse calculos, no final de cada ano se vc quiser poderá também fazer a somatoria e tirar as medias da frequencia e gravidade para comparar as taxas de forma anual.

      Excluir
  4. Olá Vitor, tudo bem?
    Deixa eu aproveitar a pergunta do Evaldo e fazer a minha....
    Nesse caso, eu só somo os dias perdidos ou fico acrescentando mês a mês os dias debitados?

    Obrigada!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nesse caso como vc já somou os dias debitados, nos próximos vc vai somar apenas os dias perdidos, assim que o empregado voltar ao trabalho para de contar os dias perdidos.

      Excluir
  5. Como sei se a taxa de frequência da empresa está alta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um indicador de que a taxa de frequência dos acidentes da sua empresta esteja alto se houver um aumento no FAP (Fator Acidentário de Prevenção), o ideal é você fazer os cálculos em um determinado ano e tomar como base para você poder ter esse primeiro ano como parâmetro, dai sua função é que essa taxa seja menor cada ano que passe. O ideal que essa taxa de frequência seja zero.

      Excluir
  6. Quando há o acrescimo dos dias debitados devo proceder com eles da mesma forma que se faz com os dias transferidos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saulo, boa noite

      Eu não entendi o que seria os dias transferidos?

      Excluir
  7. Ola Amigo. Não consegui resolver este exercício e chegar ao resultado do gabarito. Pode me ajudar?
    Em uma empresa de produção de energia elétrica, no período de 6 meses, ocorreram 12 acidentes do trabalho com lesão sem afastamento e 6 acidentes do trabalho com lesão com afastamento. A empresa possui 2.000 empregados que trabalham em média 200 horas por mês. A taxa de frequência de acidentes acumulada é de?
    R.3,75

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também estou em duvida nesta questão.
      Vitor seria possível nos auxiliar neste exercício?
      Grato.

      Excluir
    2. Acumulado seria para 12 meses assim como nosso amigo Daniel comentou, ou seja, o calculo ficaria da seguinte maneira:

      Primeiro calcula as horas trabalhadas em 12 meses para 2000 empregados:

      200 (horas mês por empregado) x 2000 (empregados) x12 (meses do ano) = 4.800.000 horas trabalhadas no ano.

      Substituindo na formula:

      18 (acidentes) x 1.000.000 / 4.800.000 = 3,75

      Excluir
  8. Olá! Estou tendo dificuldades em responder a questão nº43 da Prova 55 da Petrobrás Concurso 1/2012. Por favor me ajude a responder essa questão não consigo achar o resultado que se encontra no gabarito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anderson qual seria a questão? Posta a questão pra gente tentar resolver.

      Excluir
  9. Acumulada pelo periodo de 1 ano. Portanto 12 meses de horas trabalhadas.

    ResponderExcluir
  10. Boa Tarde VITOR .... Preciso de uma ajuda sua ....estou com muitas duvidas.....tive um acidente no dia 23 de abril e até hj ele esta afastado (23/05/2014) e vai passar por pericia do INSS no dia 2/06/2014 como eu faço a taxa de frequência e de gravidade? me disseram que eu conto apenas até o 15° dia depois é responsabilidade do INSS e eu não conto mais os dias!!! me ajuda com isso???

    ResponderExcluir